domingo, 1 de julho de 2018

Resenha: O Colecionador de Memórias - Cecelia Ahern

"É porque, assim como a (bolinha de gude)  enluarada, você pode ver seu fogo ardendo por dentro, e isso, em qualquer pessoa ou qualquer coisa, é algo notável, para se guardar e preservar, pegar para observar, quando você sentir necessidade de se revitalizar, ou de se tranquilizar, talvez, quando o seu brilho interior tenha esmorecido e o fogo que há dentro de você parecer mais uma brasa apagando." pág. 107


Eu li tantas resenhas positivas de "O Colecionador de Memórias" que logo que o  vi na livraria, comprei. Ele nos conta a estória de Fergus Boggs e sua filha Sabrina. Cada capítulo é alternado, um pela estória dela e outro pela estoria dele. Tudo começa quando Sabrina encontra umas caixas de bolinha de gude do pai, sendo que em 33 anos de existência ela nunca soubera que o pai gostava desse brinquedo. Estarrecida com essa descoberta, ela começa a procurar mais sobre a vida do pai e sobre duas bolinhas faltantes na coleção. Fergus tem 63 anos e está numa casa de repouso, pois teve um derrame e muito de suas lembranças estão bloqueadas.


"Mágoas criam raízes que se espalham, vão se alastrando, sorrateiramente, por baixo da superfície, tocando outras partes da vida dos que eles magoaram. Nunca é um erro, nunca é um momento, torna-se uma série de momentos, e cada um deles origina raízes que também crescem em direções diferentes. E, com o passar do tempo, isso se transforma numa velha árvore retorcida, estrangulando a si mesma, amarrando-se em nós" pág 133

No decorrer do livro vamos descobrindo sobre a infância de Fergus, o relacionamento dele com seus 6 irmãos, a perda do pai, sua relação com a mãe, os jogos de bolinha de gude, até conhecer a mãe de Sabrina, o casamento...ele não conseguia ser ele mesmo, a vergonha de sua origem, vergonha de ser quem era, de admitir que gostava das bolinhas de gude. Então ele tinha uma vida dupla e esse outro lado que a Sabrina tenta conhecer. Aos poucos ela vai descobrindo muito do pai nela mesma, muito dos problemas de relacionamento que ela tem no casamento dela são frutos do que ela viveu no casamento dos pais, ela se vê muito no pai.


Então, eu esperava um livro mais emocional, mais psiciologcio, mais intenso. Fiquei bem decepcionada. Li "O Livro do Amanhã" da Cecelia Ahern e gostei muito, li "P.S: Eu te amo" e confesso que preferi o filme..."O colecionador de memórias" ficou faltando uma empolgação, ela fala muito sobre as bolinhas de gude, sobre os jogos, o que cansa um pouco. A vida de Fergus é contada, mas falta emoção. No final surge uma mudança em  Sabrina que eu juro que fiquei sem entender o motivo.
Esperava mais.


Paguei R$39,90