segunda-feira, 18 de junho de 2018

Resenha: Pequenos Incêndios por Toda Parte - Celeste Ng

"Às vezes, quando você acha que tudo está perdido, encontra uma saída ...É como um incêndio florestal; Eu vi um, anos atrás, em Nebraska. Parece o fim do mundo. A terra fica toda queimada e preta, e todo o verde some. Mas, depois de queimar, o solo fica mais rico e coisas novas podem crescer ali...As pessoas também são assim, sabe? Elas recomeçam. Dão um jeito." pág. 363


Já vou logo avisando: Amei esse livro!
Eu não conhecia a escritora Celeste Ng, mas vi tanta gente falando bem dela, que me interessei. Comprei e amei.
"Pequenos Incêndios por Toda Parte" é um romance de muita sensibilidade! É sobre relações humanas, sobre maternidade, sobre esses sentimentos que mantemos dentro do coração e eles explodem causando pequenos incêndios nas relações e nos obrigando a recomeçar.

As personagens são vítimas de suas escolhas, e quais escolhas estão certas? Existe um jeito certo ou errado? Seguir regras é o correto? Viver baseado nas emoções é errado?

Todos nós temos segredos muito bem guardados e quem somos para julgar o próximo? Mas mesmo assim quantas vezes nos vemos no direito de julga-los.

Mia é uma fotografa, que não consegue se manter apenas de sua arte e vive nômade com a filha Pearl, trocando de emprego e de casa.
Pearl é uma garota inteligente, sensível, que não conhece o pai. Elas alugam um pequeno apartamento da familia Richardson, que por sua vez são uma família exemplar em Shaker Heights, uma comunidade que preza pelo planejamento e pelas regras.
Elena tem 4 filhos, Trip, o atleta, Lexie, a patricinha, Izzy, a perturbada e Moody o nerd. E em pouco tempo os quatros se encantam com Mia e Pearl, no entanto Mia tem segredos em seu passado e a adoção de uma menina sino-americana desencadeia a ira de Elena, que tenta descobrir tudo sobre Mia.

Adorei como Celeste separa um tempo para nos contar sobre o motivo que Elena tem problemas com Izzy, por exemplo, como a escritora sempre mostra pro leitor as duas partes de um mesmo problema. As ações nesse livro ocorrem de forma lenta, são mais de 420 páginas, mas que me deixaram agarrada a ele. A escrita é de uma sensibilidade ímpar, não dá pra não se emocionar com a estória de Mia, com Izzy, e até mesmo de Elena. 
Ninguém é o que é a toa...todos temos desejos ocultos e reprimidos...

O livro traz a tona a questão da maternidade. O que é necessário para ser considerado mãe? Quem cria? Os laços genéticos? Há uma grande discussão sobre isso.

Recomendo muito a leitura! Paguei R$49,00