terça-feira, 24 de julho de 2018

Resultado Top Comentarista de Julho

Oi gente! Hoje é dia de ver quem esta com sorte né?
Esse mês tivemos poucas postagens, pois eu tive uns probleminhas e não consegui atualizar muito. :(

A top Comentarista foi Adriana Oliveira

e pelo sorteio:
Luana Martins

parabéns meninas!
Confirme regra do sorteio, a Adriana escolhe primeiro os 3 que ela quiser.
Obrigada a todo mundo que participou!

------------------------------------------------------------------------------------------


E começa o novo Top Comentarista
De 25 de Junho a 24 de Julho.

Dessa vez faremos um pouquinho diferente, teremos 2 vencedores :)

- O Top Comentarista será sorteado. Você comenta e preenche o formulário.
A pessoa sortuda poderá escolher 3 livros dentre os abaixo:
-Doce Lar
- Pequenos Incêndios Por toda Parte
- Depois de Você
- Uma Estranha em Casa
- Estamos todos completamente transtornados
- Um de nós esta mentindo


- O 2o ganhador será o que mais comentar, esse ficará com os outros 3 livros que o ganhador do sorteio não escolher. Se tiver empate ai a gente sorteia.


Combinado?
Boa sorte!

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Resenha: O que Alice esqueceu - Liane Moriarty

"Obstáculos não podem me destruir. Cada obstáculo cede diante de uma grande determinação" pág 161


Depois de alguns dias de férias, eu volto com uma resenha bem alegrinha. "O que Alice esqueceu" é um livro bem gostosinho de ler, faz o leitor rir e pensar.
O que você faria se esquecesse dos últimos 10 anos da sua vida? Foi isso que aconteceu com a Alice, ela caiu de uma aula de step na academia e esqueceu de tudo, dos filhos, da causa do divórcio, das brigas familiares...ela voltou a ser a velha Alice de 29 anos.
Confesso que algumas partes o livro fica meio monótono, são 414 páginas que ocorrem em 1 semana da vida da Alice, mas a maior parte do tempo o livro é cômico, é dramático, é fofo!
A gente acompanha não só a vida da Alice, mas como também da irmã Elizabeth, o blog da vó Laurrie, os sentimentos dos filhos e do ex marido Nick.
O que mais gostei foram os diários da Elizabeth, senti muita verdade na tristeza dela e é muito comovente ver a transformação dela.
É um livro ótimo para casais, pois a rotina, o marasmo da relação, o cansaço que os filhos trazem, nos faz acreditar que o amor acabou. As vezes só precisamos nos reavaliar e perdoar. O amor está lá!
Após a leitura fiquei pensando muito. Vale muito a pena.

Paguei R$39,90

domingo, 1 de julho de 2018

Resenha: O Colecionador de Memórias - Cecelia Ahern

"É porque, assim como a (bolinha de gude)  enluarada, você pode ver seu fogo ardendo por dentro, e isso, em qualquer pessoa ou qualquer coisa, é algo notável, para se guardar e preservar, pegar para observar, quando você sentir necessidade de se revitalizar, ou de se tranquilizar, talvez, quando o seu brilho interior tenha esmorecido e o fogo que há dentro de você parecer mais uma brasa apagando." pág. 107


Eu li tantas resenhas positivas de "O Colecionador de Memórias" que logo que o  vi na livraria, comprei. Ele nos conta a estória de Fergus Boggs e sua filha Sabrina. Cada capítulo é alternado, um pela estória dela e outro pela estoria dele. Tudo começa quando Sabrina encontra umas caixas de bolinha de gude do pai, sendo que em 33 anos de existência ela nunca soubera que o pai gostava desse brinquedo. Estarrecida com essa descoberta, ela começa a procurar mais sobre a vida do pai e sobre duas bolinhas faltantes na coleção. Fergus tem 63 anos e está numa casa de repouso, pois teve um derrame e muito de suas lembranças estão bloqueadas.


"Mágoas criam raízes que se espalham, vão se alastrando, sorrateiramente, por baixo da superfície, tocando outras partes da vida dos que eles magoaram. Nunca é um erro, nunca é um momento, torna-se uma série de momentos, e cada um deles origina raízes que também crescem em direções diferentes. E, com o passar do tempo, isso se transforma numa velha árvore retorcida, estrangulando a si mesma, amarrando-se em nós" pág 133

No decorrer do livro vamos descobrindo sobre a infância de Fergus, o relacionamento dele com seus 6 irmãos, a perda do pai, sua relação com a mãe, os jogos de bolinha de gude, até conhecer a mãe de Sabrina, o casamento...ele não conseguia ser ele mesmo, a vergonha de sua origem, vergonha de ser quem era, de admitir que gostava das bolinhas de gude. Então ele tinha uma vida dupla e esse outro lado que a Sabrina tenta conhecer. Aos poucos ela vai descobrindo muito do pai nela mesma, muito dos problemas de relacionamento que ela tem no casamento dela são frutos do que ela viveu no casamento dos pais, ela se vê muito no pai.


Então, eu esperava um livro mais emocional, mais psiciologcio, mais intenso. Fiquei bem decepcionada. Li "O Livro do Amanhã" da Cecelia Ahern e gostei muito, li "P.S: Eu te amo" e confesso que preferi o filme..."O colecionador de memórias" ficou faltando uma empolgação, ela fala muito sobre as bolinhas de gude, sobre os jogos, o que cansa um pouco. A vida de Fergus é contada, mas falta emoção. No final surge uma mudança em  Sabrina que eu juro que fiquei sem entender o motivo.
Esperava mais.


Paguei R$39,90

terça-feira, 26 de junho de 2018

Resenha: Tudo o que nunca contei - Celeste Ng

"E a própria Lydia - o centro relutante daquele universo - todos os dias mantinha o mundo estável. Absorvia os sonhos dos pais, silenciando a relutância que fervilhava por dentro." pág. 163

Eu estou numa ressaca literária danada devido a essa leitura. Eu amei o livro! Ele mexeu muito comigo.

Lydia está morta, essa é a frase que já choca o leitor na primeira página. Aos poucos vamos conhecendo Marylin, a mãe de Lydia, Nat e Hannah, uma mulher inteligente e ambiciosa, que sonhava em ser médica até ficar grávida. James, o pai, um chinês nascido nos Eua, que sempre quis ser um homem cheio de amigos e influente.

Todas as expectativas frustradas desses pais caíram em cima de Lydia, uma garota de 15 anos, meio chinesa, meio americana, cabelos pretos e olhos azuis. Uma menina tímida e inteligente que o pai quer por todo custo que seja popular, e a mãe quer que ela seja tudo menos dona de casa como ela.
O corpo de Lydia é encontrada no lago perto da casa dos Lee, e a partir dai a estória e desconstrução dessa família ocorre.

"Agora ela pensava na mosca pousando delicadamente na poça de resina. Talvez ela a tivesse confundido com mel. Talvez sequer tivesse visto a poça. Quando enfim percebeu seu erro, era tarde demais. Ela se debatera, afundara e então se afogara" pág, 276

"Tudo o que nunca contei" é um livro extremamente sensível, com grande fator psicológico, que mexe com as nossas frustrações mais profundas e nós mostra o que elas podem fazer em nós, e em quem nos cerca.
O preconceito que os Lee sofrem, a culpa que James sente por ser chinês  e por fazer seus filhos sofrerem esse buillyng numa sociedade extremamente preconceituosa, os desejos de Marylin em ser uma profissional de sucesso, a solidão de Hannah, a relação fraternal e confidencial de Nath com Lydia, isso tudo me envolveu muito, e fiquei emergida nessa estória que poderia ser de qualquer um de nós.
Hannah é uma menina tão especial e tão abandonada, ela é tão atenta àquela família mas é tão deixada de lado, que me emocionou. A solidão é outro assunto bem desenvolvido, solidão de James, de Lydia...de toda essa família que é vista a margem da sociedade só por ser chinesa.
Jack é a prova que nem tudo o que vemos é o que é. Que não conhecemos uma pessoa só pelo o que achamos dela.
O título fala por si só, é tudo o que Lydia poderia ter dito, ela sofre calada, fazendo tudo por essa família, tudo para agradar a mãe, deixando até seus desejos em segundo plano.

O final é lindo! É uma tentativa de libertação dos medos e das amarras.

Paguei R$32,90



domingo, 24 de junho de 2018

Resultado Top Comentarista de Junho 2018


E hoje é o dia!!!!


O top comentarista de junho foi...
Atraentemente Evandro com 20 comentários!

Parabéns Evandro!!
Obrigada a todos que participaram e logo teremos mais um top!

*****************************




abe qual é a coisa mais gostosa quando se tem um blog?
Ler os comentários das pessoas sobre as postagens :)
E para incentivar isso, daremos um prêmio especial para o Top Comentarista de Junho!
O prêmio será um kit com 3 livros de sucesso
- Com Amor Simon
- O Homem de Gi
- A última grande lição

Quem ganhará?
Quem mais comentar no blog do dia 25 de Maio até 24 de Junho de 2018.

Vale para qualquer pessoa do território nacional.
Pode comentar em todas as publicações do ano de 2018.

Seria bem legal se a pessoa seguisse alguma (ou todas) das nossas redes sociais :)

Cada vez que comentar, é só preencher o formulário abaixo com seu nome, email e o link da postagem.

sábado, 23 de junho de 2018

Resenha: Estamos todos completamente transtornados - Karen Joy Fowler

"Se algum dia eu tivesse imaginado que seria mais importante sem a presença dela constantemente chamando a atenção de todos, eu sinto o oposto...Um dia, toda palavra que eu dizia constava como informação, dados de pesquisa, e era registrada com cuidado para posteriores estudos e discussões. No outro, eu era apenas uma garotinha, um pouco estranha, mas sem nenhum interesse científico para qualquer pessoa" pág. 122



Já nas primeiras linhas de "Estamos todos completamente transtornados" conhecemos Rosemary Cooke, uma mulher de 22 anos, estudante universitária, que sem saber o motivo perdeu sua irmã Fern  e seu irmão mais velho Lowell é procurado pelo FBI. Seu pai é psicólogo/professor e a mãe sofre de depressão. Diga-se de passagem que essa estória começa do meio, pois a mãe de Rose, para encurtar as ladainhas da filha, sempre a mandava começar do meio o que quer que fosse o que ela tinha que contar.A garota em sua infância era feliz e tagarela, hoje ela mal fala, e aos poucos vamos entendendo o motivo.O tema central desse livro é a causa animal, lá pela página 88 descobrimos que Fern é uma chimpanzé. E acho que essa é a parte mais bonita do livro, pois Rose a considerava uma irmã e não um animal, o que nos humaniza são os sentimentos e Rosemary ama Fern, nunca achou estranho uma macaca ser da família, em certo ponto ela mesma diz que ela era uma menina-macaca, mas que Fern era uma menina comum.
Fern desde 3 meses de idade mora com os Cooke. O pai delas é professor  de psicologia comportamental e as duas são o alvo das pesquisas que ele faz. Até que  um belo dia Fern desaparece e
ninguém na família fala mais sobre ela. A mãe entra em estado de depressão profunda, mas todos fingem que nada acontece. Até que Lowell foge de casa e um dia o FBI aparece na porta da casa o procurando.

No decorrer do livro todos os personagens vão sendo desconstruídos, a gente vai lendo e percebendo as fraquezas e até os absurdos que podem ser feitos em nome da ciência.Em certo ponto, eu achei que a leitura se tornou cansativa, alguns trechos desnecessários para o contexto da estória, um pouco de mais do mesmo....o que me desinteressou pelo livro, mas continuei para descobrir o que a escritora guardava para Fern.

Sobre o título: "Estamos todos completamente transtornados" era um jargão da mãe de Rosemary. Ela sempre falava essa frase. 

Paguei R$37,90


terça-feira, 19 de junho de 2018

Resenha: O Fundo é Apenas o Começo - Neal Shusterman

"A luzinha do "check-up do cérebro" se acende de muitas maneiras, mas essa é a parte problemática: o motorista não pode vê-la. É como se ela estivesse posicionada no porta-copos do banco traseiro, debaixo de uma lata vazia de refrigerante que já está lá há um mês. Ninguém vê a luzinha, a não ser os passageiros - e só se estiverem procurando, ou então quando ela fica tão quente e brilhante que derrete a lata e incendeia o carro"pág. 97

Conheci esse livro pelo Skoob, li várias resenhas positivas e fiquei muito interessada.

"O Fundo é Apenas o Começo" relata um período da vida de Caden Bosh, onde ele começa a manifestar os primeiros sinais de transtornos psiquiátricos. Até os quinze anos ele era um menino comum: ótimo aluno, bom filho e irmão, mas aos poucos ele é tomado por pensamentos obsessivos, fugas da realidade, mania de perseguição; por esse motivo, as primeiras sessenta páginas podem parecer um tanto confusas ao leitor desavisado, pois os primeiros capítulos contam uma viagem mirabolante de Caden num navio pirata, com um capitão cegueta e um papagaio conversador. O livro é sempre dividido entre a realidade e os episódios da doença.

Aos poucos Caden começa a perder os amigos, a perder o interesse na escola, a perder o senso de realidade.

Uma coisa que me preocupou é que demorou um certo tempinho para os pais perceberem o que acontecia com o garoto, isso serve até de alerta para nós, pais e mães, pois como diz o trecho que separei e transcrevi lá em cima, a própria pessoa não percebe que esta com problemas, tem que ser alguém que esteja perto e atento para perceber. 
Depois que a família entendeu os sinais, agiu rápido e esteve junto de Caden sempre, ele teve todo o apoio e isso é tão bonito! Foi realmente algo real!
Eu confesso que fiquei bem abalada lendo, esse livro é uma experiência para o leitor sentir e se infiltrar na mente de Coden, "O Fundo" é um livro que me tocou fundo, me emocionei, me sensibilizei com o protagonista. Eu já tinha lido "Tartarugas até lá embaixo" do John Green que também relata um adolescente com transtornos psiquiátricos, no caso TOC, e em ambos os casos, as doenças são reais, pois o filho de Neal tem esquizofrenia e todas as ilustrações que constam no livro são dele, assim como Green tem TOC.


"Mil pensamentos me passam pela cabeça, mas não os sinto como se fossem de fato meus. São quase como vozes. E me dizem coisas /.../ Os pensamentos-vozes dizem que devo fazer coisas. "Vá arrancar os cabeçotes dos sprinkles do vizinho. Mate as cobras"..."Esta vendo o bombeiro que vive mais adiante da rua?...Na verdade, é um terrorista que faz bombas caseiras, Pegue com caminhão dele, saia dirigindo e se jogue no penhasco..." pág 95

Recomendo muito essa leitura. É um livro para ser lido com calma e refletido.

Esse livro veio na caixinha Visões do Skoob, assino por R$59,90









segunda-feira, 18 de junho de 2018

Resenha: Pequenos Incêndios por Toda Parte - Celeste Ng

"Às vezes, quando você acha que tudo está perdido, encontra uma saída ...É como um incêndio florestal; Eu vi um, anos atrás, em Nebraska. Parece o fim do mundo. A terra fica toda queimada e preta, e todo o verde some. Mas, depois de queimar, o solo fica mais rico e coisas novas podem crescer ali...As pessoas também são assim, sabe? Elas recomeçam. Dão um jeito." pág. 363


Já vou logo avisando: Amei esse livro!
Eu não conhecia a escritora Celeste Ng, mas vi tanta gente falando bem dela, que me interessei. Comprei e amei.
"Pequenos Incêndios por Toda Parte" é um romance de muita sensibilidade! É sobre relações humanas, sobre maternidade, sobre esses sentimentos que mantemos dentro do coração e eles explodem causando pequenos incêndios nas relações e nos obrigando a recomeçar.

As personagens são vítimas de suas escolhas, e quais escolhas estão certas? Existe um jeito certo ou errado? Seguir regras é o correto? Viver baseado nas emoções é errado?

Todos nós temos segredos muito bem guardados e quem somos para julgar o próximo? Mas mesmo assim quantas vezes nos vemos no direito de julga-los.

Mia é uma fotografa, que não consegue se manter apenas de sua arte e vive nômade com a filha Pearl, trocando de emprego e de casa.
Pearl é uma garota inteligente, sensível, que não conhece o pai. Elas alugam um pequeno apartamento da familia Richardson, que por sua vez são uma família exemplar em Shaker Heights, uma comunidade que preza pelo planejamento e pelas regras.
Elena tem 4 filhos, Trip, o atleta, Lexie, a patricinha, Izzy, a perturbada e Moody o nerd. E em pouco tempo os quatros se encantam com Mia e Pearl, no entanto Mia tem segredos em seu passado e a adoção de uma menina sino-americana desencadeia a ira de Elena, que tenta descobrir tudo sobre Mia.

Adorei como Celeste separa um tempo para nos contar sobre o motivo que Elena tem problemas com Izzy, por exemplo, como a escritora sempre mostra pro leitor as duas partes de um mesmo problema. As ações nesse livro ocorrem de forma lenta, são mais de 420 páginas, mas que me deixaram agarrada a ele. A escrita é de uma sensibilidade ímpar, não dá pra não se emocionar com a estória de Mia, com Izzy, e até mesmo de Elena. 
Ninguém é o que é a toa...todos temos desejos ocultos e reprimidos...

O livro traz a tona a questão da maternidade. O que é necessário para ser considerado mãe? Quem cria? Os laços genéticos? Há uma grande discussão sobre isso.

Recomendo muito a leitura! Paguei R$49,00


sábado, 16 de junho de 2018

Resenha: A Sutil Arte de Ligar o F*da-se - Mark Manson


" A certeza é inimiga do crescimento"

Vou contar pra vocês que quando eu vi esse livro nas livrarias, eu pensei: Hummm esse livro deve ser mais um auto ajuda como tantos por aí...
Mas ai eu comecei a ver um monte de gente lendo e gostando...minha irmã leu e adorou...ai comprei o e-book (paguei R$13,00).
Eu adorei! Me rendi a ele! Postei algumas frases no instagran do blog, no FB e muita gente se interessou também. Na verdade ele não é auto ajuda não, ele é auto realista *rs, ele te dá vários exemplos e choques de realidade de que você é quem faz a sua vida, você é responsável por tudo o que acontece com você, mesmo que não seja o culpado por elas.

"Quando você passa a se sentir confortável com toda a merda que a vida joga na sua cara (e ainda vai rolar muita merda, pode acreditar), você se torna invencível, num sentido levemente (bem levemente) espiritual. Afinal de contas, o único jeito de superar a dor é aprender a suportá-la.”

Eu amei a parte que ele fala sobre as referências, me dei conta de que tudo na vida é referência! Ele conta diversas histórias de vida, as vezes dele mesmo, as vezes de artistas como Ringo Star, Dave Mustaine, Buda e por ai vai.
A linguagem usada no livro é "mara", porque na verdade é como se Mark estivesse conversando com você o tempo todo, contando as experiências dele, e te dando conselhos, falando sobre a vida...vi essa leitura como um bate papo com um amigo.
Acredito que Mark Manson tem um dedo no Budismo, pois muitas das suas filosofias pairam sobre os preceitos dessa filosofia de vida, como a aceitação, sofrimento é inevitável, viver o hoje, e por ai vai.

"Se o sofrimento é inevitável, se os problemas da vida também são, a pergunta que devemos fazer não é "Como paro de sofrer?", e sim "Pelo que estou sofrendo? Com que propósito".


O mais importante é que ligar o f*da-se não é não se importar com nada, e sim, se importar apenas com o que realmente importa, a vida é curta, você precisa parar e refletir o que é importante pra você.

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Resenha: 108 Contos e parábolas orientais - Monja Coen



Eu gosto muito da filosofia Budista e sempre estou lendo a respeito. Comprei o e-book do "108 Contos e Parábolas Orientais". Amei! Devorei! É uma leitura super gostosa, flui, é como se a monja Coen estivesse conversando com o leitor, e apos cada conto ela nos traz um conselho, uma reflexão, uma palavra de sabedoria.
Você não precisa ser budista para ler esse livro e nem um simpatizante, precisa apenas querer ser uma pessoa melhor, se aprimorar como ser humano.
São 108 contos e parábolas, todas muito bem explicadas pela Monja. Eu adorei.
Paguei R$12,00


segunda-feira, 11 de junho de 2018

Resenha: A Mulher na Cabine 10 - Ruth Ware


Sabe quando você lê um livro e tem partes que gostou e partes que você se pergunta: Como assim?? O que que é isso?? Pois é, foi esse o meu caso. 
Acho que "A Mulher na Cabine 10" tem uma ótima sinopse, tanto que me interessei muito e comprei. Mas no desenrolar do livro a estória se perde em tanta "encheção de linguiça" e tanta solução maluca. O final me decepcionou, eu fiquei pensando: Hein? Como que é? Ruth, você acha que todo mundo vai comprar essa ideia??? Porque pra mim pareceu meio absurda!

Bem, vamos à estória. Tudo começa quando Lo, 32 anos, jornalista de uma revista de turismo, é assaltada dentro do próprio kitnet. Ela fica perturbada e traumatizada. Ai eis que surge a oportunidade de cobrir o lançamento de um navio/iate de luxo "Aurora Borealis". O navio é pequeno e luxuoso, vários jornalistas de renome estão nesse cruzeiro e é a chance de Lo alavancar a própria carreira. No entanto na 1a noite, ainda meio atordoada pelo medo do assalto e por diversas doses de gim, Whisky e vinho, (sim, porque a protagonista precisa, assim que sair do navio ir pros álcoolotras anôninos, meu deus! nunca vi beber tanto), ela vê um corpo de mulher sendo jogado ao mar. Mas será que tudo não passou de um surto psicótico ou houve realmente um assassinato? Porem, não há registro de ninguém desaparecido no Aurora, e ninguém nunca viu ou ouviu falar da suposta mulher morta. (O mote lembra bem "A mulher na janela").

Vale ressaltar que o livro tem um número grande de personagens, desse modo para gravar todos os que estavam no navio, o que eram e o que faziam, eu tive que anotar num papel, porque já estava começando a me perder. 

O primeiro capítulo é bem interessante, comecei gostando da Lo e foi bem real a angústia e  medo da personagem, mas quando ela entra no navio e começa a tentar solucionar o assassinato, o enredo enrola muito...fica cansativo, da vontade de fazer leitura dinâmica. Os 2 últimos capítulos também são legais, tem muita "sacada" boa da escritora, apesar que o desfecho mesmo que interessa, eu achei meio absurdo...vou dar um spoiler de leve....

Como que uma pessoa se passa pela outra sem ninguém perceber?? Como que a escritora quer que a gente acredite que Carrie era super ultra mega semelhante a Anne? No começo do livro a Lo viu foto de Anne no Wikipedia ao lado do marido, depois a resolução da escritora era dizer que Anne era reclusa na Noruega por isso ninguém a conheceria. Uai! Mas assim como Lo, qualquer um podia dar um google e ver foto de Anne! 

Acho que a ideia do livro é boa, alguns capítulos valem a pena, mas a escritora se enrolou demais no meio de campo e a solução para o assassinato foi bem fraca.

Ah! Uma coisa que me incomodou muito foi que paguei R$49,90 e a edição veio com erros de português e de digitação nas páginas 199 e 200. 

terça-feira, 5 de junho de 2018

Resenha: Uma Estranha Em Casa - Shari Lapena

"É quase como antes. Mas não é nada como antes." pág 50


Assim que comecei a ver a grande publicidade em cima de "Uma Estranha Em Casa" e li a sinopse, resolvi comprar. Eu adoro um suspense e não ia ficar por fora desse.
São 264 páginas que contam a estória de Karen Krupp, uma mulher com uma vida sob nenhuma suspeita, dona de casa, casada há 3 anos com Tom Krupp, ele é um contador que tem uma vida simples e ambos estão apaixonados. Porem um dia quando Tom chega em casa para o jantar, se assusta ao ver a porta aberta, a bolsa de Karen em cima da cama e a esposa não esta em casa. Logo é avisado que ela sofreu um acidente de carro e esta com amnésia.
Alguns dias mais tarde detetives batem na porta deles dizendo que próximo ao local que Karen foi encontrada, houve um assassinato.

Eu estava muito empolgada com esse livro, gostei do primeiro capítulo...do segundo...mas quando foi chegando no meio e sempre mais do mesmo, eu fui ficando decepcionada. A escrita em 3a pessoa da autora é meio arrastada. Fui lendo e querendo novidade, mas o enredo não progredia.

Tom é cansativo, medroso, inseguro. Karen parece uma mulher dissimulada, manipuladora, desde o começo não consegui gostar dela. Brigid é a vizinha maluquete, fofoqueira e amiga de Karen. A trama se move principalmente em torno desses três personagens.

Não consegui nem me empolgar nem com o final, que na verdade pela falta de personagens, não é nada muito surpreendente.
Em muitos pontos eu vi coincidências com o filme "Dormindo com o Inimigo". A esposa que sofre maus tratos...o marido violento que quer tudo organizado nos mínimos detalhes...
Achei que o fato de Brigid gostar tanto de tricô teria alguma coisa de mais relevante, mas não.

O finalzinho dá a entender que terá um segundo volume, será?

Paguei R$39,90

sábado, 2 de junho de 2018

Resenha: A Grande Ilusão - Harlan Coben

"O fantasma da morte persegue você, Maya" 

Eu sou uma amante compulsiva de livros de suspense, como uma pessoa curiosa, não consigo parar de ler até achar o culpado, o assassino, o segredo...pra mim um dos melhores escritores de suspense é Harlan Coben. Tenho quase todos os livros dele e não consigo dizer qual é o melhor. Desde a série Myron Bolitar até "Não Conte a Ninguém", todos maravilhosos.
Em "A Grande Ilusão" nós conhecemos Maya, uma ex capitã do exército, casada com Joe e mãe de Lily. O livro começa no enterro de Joe, ele foi assassinado com 3 tiros quando estava num parque com Maya. 4 meses atras a irmã de Maya, Claire, fora torturada e assassinada. 
Um belo dia ela vê uma imagem capturada pela câmera escondida (que colocou para supervisionar a babá), Joe brincando com a filha de 2 anos Lily!
Nesse momento Maya começa a investigar a morte e quanto mais investiga, mais percebe que não se pode confiar em ninguém.

Maya é uma mulher forte, corajosa, destemida, sofre de Transtorno Pós Traumático e tem muitos segredos e traumas. 
Joe era seu marido há quase 3 anos, eles se amavam, ele era uma figura cativante e que todos gostavam. Vinha de uma família riquíssima. Eram o casal perfeito! Quem teria algum motivo para assassina-lo? 
O leitor viaja junto com Maya pela investigação e vai montando esse quebra cabeças, que no início pode parecer totalmente sem nexo, mas que Coben fecha com chave de ouro!

Um detalhe que achei bem bacana, é que em determinado momento, o Win da série do Myron é citado! Ele que ajuda Theo, um amigo de Joe e Andrew (irmão de Joe) a conseguir bolsa num colégio TOP.

E que final é esse meu povo? Surpreendente!

No link abaixo temos mais resenhas dos outros livros de Harlan Coben:

Paguei R$17,50





quinta-feira, 31 de maio de 2018

Resenha: Com amor, Simon - Becky Albertalli

"É que às vezes parece que todo mundo sabe quem eu sou, menos eu.”

Primeiramente tenho que dizer que esse é um livro fofo e acredito que os adolescentes vão amar!

Simon é um garoto boa pinta, bom aluno, bom filho, bom amigo, aquela pessoa que todo mundo quer ter por perto, ele é gay, mas não "saiu do armário" ainda, nem é por causa dos pais, esses são super compreensíveis e ele sabe que o apoiaram,  mas sim por uma insegurança dele mesmo, como os amigos iriam reagir? Como contar?

“Mas estou cansado de sair do armário. Tudo o que eu faço é sair do armário. Tento não mudar, mas estou sempre vivendo essas pequenas mudanças. Arrumo uma namorada. Tomo uma cerveja. E, todas as vezes, preciso me reapresentar para o universo.”

Simon troca e-mails com Blue, um rapaz gay da mesma escola, porem nem ele e nem Blue sabem quem é um e outro, eles se correspondem por apelidos e emails anônimos. Até que Martim, descobre as correspondências e chantageia Simon. Mas não é uma chantagem agressiva, Martim se esconde na fachada de cara legal, mas que na primeira oportunidade mostra as suas garras.

Em nenhum momento Símon sofre aquele bullying clichê ou agressões físicas, apesar de ter que lidar com Martin que é um preconceituoso disfarçado, o livro trata da questão psicológica, da auto aceitação, de como lidar em si mesmo com as suas opções.


“Sentir-se seguro quanto à masculinidade não é a mesma coisa que ser hétero.”

A narrativa é toda em primeira pessoa, é como se cada leitor fosse Simon, e nessa jornada a gente vai se descobrindo com ele e compreendendo como um adolescente gay se sente e se aceita.

A parte mais fofa do livro é o romance dele com Blue.  Quando eles se conhecem e enfim começam a viver esse amor, é muito fofo!!! 

Achei que é um ótimo  livro para os adolescentes que vivem essa situação e principalmente para quem ainda tem algum preconceito com a questão LGTB.

Paguei $25,90


domingo, 27 de maio de 2018

Resenha: O perfume da Folha de Chá - Dinah Jefferies

"...a culpa era capaz de consumir uma pessoa por dentro, e que era uma presença persistente, invisível a princípio, mas ia crescendo até ganhar vida própria."

Ganhei esse livro de Dia das Mães.  Vi essa capa linda e me encantei! Li a sinopse e me encantei, precisava saber qual o segredo que esse casal mantinha. Esse romance é para ser saboreado, a leitura é um deleite, as ações acontecem devagar, não espere um livro onde as coisas vão se encaixando rapidamente, essa é a estória da vida de Gwen e Laurence.

Gwen é uma moça inglesa de 19 anos, recém casada e apaixonada pelo viúvo Laurence de 37 anos. Ele é um fazendeiro de chá no Ceilão e ela se muda para lá. Chegando à essa nova vida, ela percebe que o marido esta cada vez mais distante e mantem vários assuntos em segredos. Logo ela descobre na propriedade um túmulo escondido em meio a um matagal, Laurence não se abre, não tem diálogo,  não conversa nem sobre a sua primeira esposa Caroline.
Após uns meses, ela descobre que esta grávida e a felicidade  reabre  aporta para eles. O parto é  sofrido Gwen esta sozinha em casa com Naveena, aia da Laurence, a inglesa dá luz a duas crianças, mas um medo terrível a faz ter uma atitude impensada, que ela se culpará pelo resto da vida.

No romance temos outros personagens muito importantes para a trama:
Verity - 26 anos, irmã de Laurence, mimada, dissimulada. Boa parte das brigas entre o casal, acontece por culpa dela.

Fran - prima de Gwen, uma menina a frente do seu tempo, orfã dos pais. É como uma irmã para a protagonista.

Savi - um artista do Ceilão, ele tem papel decisivo na estória (olho nele!!). Laurence o detesta, no fim sabemos o motivo :)

Naveena - empregada da casa, foi baba de Laurence, uma mulher muito batalhadora e tem papel bem importante na narrativa como na estoria familiar de Laurence.


"O Perfume da folha de chá" me fez pensar em como é ruim manter segredos, temas que não são conversados... pois esse é o cerne dos problemas desse casal, além do grande preconceito racial que é muito bem relatado nessa obra. 

A trama é muito bem montada, mas como disse, você não pode ter pressa, a narrativa é lenta e bem descritiva, os fatos vão se resolvendo dentro dos 4 capítulos (Nova Vida, O Segredo, O Sofrimento, A Verdade), das 430 páginas. 

O capítulo III O Sofrimento é muito arrebatador, eu sofri e chorei com ela, a dor da culpa foi cortante, enorme, e arrebatadora,

Eu amei e odiei o final, queria bater em  Laurence!!! Porque se ele tivesse conversado com Gwen nada teria acontecido! Ela não teria tomando a decisão desesperada que tomou! E também fiquei impressionada como as pessoas são preconceituosas! Até quem sofre preconceito é preconceituosa! Por exemplo, as pessoas do Ceilão sofrem preconceito pelos Ingleses, e mesmo assim são extremamente preconceituosos com os tâmis, povo que veio para trabalhar no território que hoje é o Sri Lanka.


Recomendo muito a leitura! Paguei $31,90

sábado, 26 de maio de 2018

Resenha: A Última Grande Lição - Mitch Albom


"Mas o universo é demasiado harmônico, grandioso e avassalador para se acreditar que é tudo obra do acaso" pág 11


Eu li "As cinco pessoas que você encontra no céu" (resenha aqui) e amei!!! Comprei "A última grande lição" com uma expectativa de que seria bem parecido, o livro vendeu mais de 15 milhões de exemplares! Esse livro é uma homenagem de Micth ao professor Morrie, que foi seu grande professor e o fez mudar sua visão de vida e valorizar as coisas que são essenciais, mas que nem sempre estamos atentas a elas.

Morrie Schwartz foi professor da faculdade de autor, e no dia da formatura prometeram manter contato, o que não foi cumprido por Mitch. Esse levava uma vida de trabalho, insatisfeito, sem se ligar muito nas pessoas e família. 

Dezesseis anos depois, Morrie descobre que esta com ELA e que tem alguns meses de vida. Mitch vai ao seu encontro e começam a ter "aulas" as terças feiras, até a morte do professor. Nessas aulas eles falam sobre amor,  dinheiro, casamento, cultura, morte e envelhecimento.

Cada capítulo é uma terça feira e uma aula. Há um jogo de tempo  entre o presente o passado (da época que Micth ainda era o aluno da faculdade). No geral é um livro de memórias com vários conselhos bons, no entanto a narrativa é um pouco cansativa em alguns pontos. 

Paguei R$15

sexta-feira, 25 de maio de 2018

Resenha: O Homem de Giz - C. J Tudor

"Comecemos pelo princípio. O problema é que nunca estivemos de acordo quanto ao princípio. Foi quando o Gav Gordo recebeu o balde com paus de giz como presente de anos? Foi quando começamos a desenhar bonecos de giz ou quando eles começaram a aparecer por sua iniciativa? Foi quando se deu o terrível acidente? Ou quando encontraram o primeiro corpo?"


O livro conta a vida dos amigos Ed, Gav Gordo, Hoppo, Mickey Metal e da menina Nicky. Todos tem por volta de 12 anos. 

Ed é filho de um jornalista meio frustrado e de uma médica que trabalha numa clínica de abortos Ele é um menino meio tímido, cleptomaníaco, se transforma num adulto meio frustrado, professor de inglês, acumulador, sonambulo e meio beberrão.

Nicky é filha do reverendo (a mãe a deixou com o pai) da cidade que faz campanha contra a clinica que a mãe de Ed trabalha. É uma feminista e a maioria das vezes contra o pai.

Gav Gordo é o menino mais abonado da turma. O pai tem um bar. É  o mais gordo da turma, o mais leal e sarrista,

Hoppo é o mais pobre. O pai sumiu e a mãe é faxineira. É aquele que sempre tenta contornar a situação e acalmar os ânimos.

Mickey Metal é um garoto meio falsiane, melhor amigo de Gav e irmão do valentão da cidade, Sean.

O livro começa com um prólogo já contando que uma garota é assassinada e esquartejada. A cabeça é retirada por uma pessoa e colocada em uma mochila.

A estória é sobre esses assassinatos que ocorreram e todos eles tinham desenhos de bonecos palitos de giz desenhados.

O começo dessa série de acontecimentos não é bem definido, e nessa pequena cidade qualquer coisa é uma grande novidade, talvez tenha sido quando um novo professor se apresenta, alto e albino, o sr Halloran salva uma menina da morte, quando esta se acidenta em um brinquedo Twitter, ou no aniversário, Gav ganha um balde lotado de giz, ou quando um garoto aparece morto no lago...

O livro tem um salto no tempo de 30 anos sem que nenhum desses acontecimentos tenha sido resolvido. E é uma inesperada visita de Mickey Metal que tudo retoma e começa a ser elucidado.

Os bonequinhos de giz aparecem porque as crianças seguindo um conselho do professor Halloran, começam a brincar desenhando nas ruas com giz (já que Gav tinha ganhado um balde gigante de giz no aniversario).E nisso os 5 amigos começam a fazer códigos secretos com esses 'homens palitos". Todos os crimes tem homens de giz desenhados. 

Quando comecei a ler "O Homem de Giz", eu tinha alta expectativa e depois de lido, eu ainda não sei se gostei ou não. Eu esperava um Thriller de suspense e a narrativa é meio lenta, em determinados capítulos é meio romantizado, cheio de descrições e achei um tanto cansativo. Lá pela página 60 é que a estória realmente começa. 
Todos os crimes que ocorreram são solucionados, nada deixa de ser explicado pela escritora, alguns frustam o leitor, talvez merecesse uma solução mais interessante, outros são muito bem tramados e fixam a leitura. Se eu tivesse que dar uma nota de 0 a 10, daria 7,5.

****Spoiler**** para ler selecione o texto abaixo:


Nenhum dos crimes tem ligação, cada um foi feito por uma pessoa diferente. 

Por exemplo quando Sean morre afogado, foi Gav que colocou a bicicleta dele no lago. Tentando entrar no lago para resgata-la, Sean morre. Sean era um rapaz terrível, quase toda a cidade não gostava dele.

No velório de Sean, o policial Thomaz aparece com a filha Hannah, dizendo que ela esta grávida e que Sean a tinha estuprado, mas na verdade Hannah (que era uma das fiéis escudeiras do Reverendo), está grávida deste. 
Antes desse acontecimento, Hannah vai na clínica da mãe de Ed para tentar abortar a criança, mas a mãe de Ed a convence a não fazer o aborto. Hannah conta para esta que o verdadeiro pai é o Reverendo, por sua vez a mãe de Ed conta para o marido e esse conta para o pai de Hannah...ou seja, o espancamento que o reverendo leva e que fica vegetativo, foi responsabilidade do policial Thomaz.

Sr Halloran depois de ter salvo a garota do Twister/Elisa se apaixona por ela e eles tem encontros secretos no bosque. Elisa que antes era morena, decide dar uma mudada no visual e tinge as madeixas de loiro, ficando muito parecida com Hannah.

Na verdade, o reverendo não esta vegetativo, ele consegue andar e falar, ou seja, mente o tempo todo. Uma noite, ele foge do asilo e vai ao bosque onde antes se encontrava com Hannah. Vendo uma jovem loira, acredita ser ela (mas na verdade era Elisa) e a mata. Vendo o engano que cometeu, decide picotar o corpo. 
No dia seguinte Ed caminhando pelo bosque, acha o corpo, como ele tinha se encantado com Elisa desde o dia do acidente, decide levar a cabeça dela numa mochila...e a mantem por mais de 30 anos numa mochila, embaixo do assoalho da casa. 
Ele faz desenhos de homens palitos perto da cena do crime para facilitar a policia a achar o corpo e seus pedaços.

Prof Halloran, (o homem de giz, que levou esse apelido pq deu a ideia de brincarem com os giz), se suicida logo após a morte de Elisa, e todos acham que foi ele quem a matou, (pois os pais eram contra esse amor, já que ela era uma adolescente e ele um trintão), tudo porque  Ed arrancou do dedo da morta um anel e deixou na casa do Sr Halloran, acreditando que este gostaria de uma recordação da namorada. 

Mickey depois de uma festa, dá carona a Gav, estes sofrem um grave acidente. Gav fica paraplégico. No entanto Mickey não bebia, mas no teste de embriaguez, deu positivo. Gav nunca perdoa seu melhor amigo. Mickey retorna 30 anos depois à cidade dizendo que fará um livro sobre toda essa historia. Porém logo  ele morre afogado no mesmo lago que o irmão. 
A verdade ´que  Hoppo o matou, pois Mickey tinha descoberto que fora Hoppo quem batizou a bebida dele no dia do acidente com Gav. Hoppo não gostava de Mickey quando eram crianças.


Paguei R$39,90

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Resenha: Casos e Casos - Esther Perel

"Então você recomendaria um casos extraconjugal a um casal que esteja em crise? Minha resposta? Muitas pessoas têm experiências positivas, transformadoras, ao enfrentar doenças terminais. Mas eu não recomendaria ter um caso, assim como não recomendaria ter um câncer." pág. 19

Eu gostei demais dessa leitura, pois me esclareceu muitas dúvidas sobre a infidelidade. Por exemplo: bate papo é traição? Pornografia? Existe um ponto positivo na infidelidade? 

A psicoterapeuta Esther Perel esclarece vários aspectos sobre a traição, e nos faz ver essas "Puladas de cerca" de outros pontos de vista. "As complexidades do amor e do desejo não se submetem a categorização simplista de bom ou mau, vítima ou culpado" pág. 18 

"A solidão, os anos de apatia sexual, o ressentimento, o arrependimento, o desleixo conjugal, a juventude perdida, a atenção almejada, as bebidas além da conta - coisas assim são a essência da infidelidade"


Será que um casamento pode sobreviver ou melhorar após um caso extraconjugal? Mas o que seria uma traição? Esther nos alerta que infidelidade inclui um ou mais desses elementos: Clandestinidade, Química sexual e envolvimento emocional.

Bem embasado por casos de casais que ela atendeu em consultório, exemplos de vida de inúmeras pessoas que ela conversou, palestras que deu, o livro faz uma análise sobre todo relacionamento e suas novas formas de lidar com as mudanças.
Ela não nos dá uma resposta correta, e sim nos faz pensar e definir o que será melhor para cada vida e cada casamento.

Por último e não menos importante, amei a capa! Fiquei encantada na criatividade do ilustrador que conseguiu mostrar tão bem o tema do livro. Lindo!!

Preço R$44,90





terça-feira, 15 de maio de 2018

Quero ler!!!

Olá menin@s!!!
Essa semana ganhei alguns livros que eu queria muito!
Além de muitos beijinhos e abraços das minhas filhas queridas, eu ganhei:
- O Perfume da Folha de Chá - Dinah Jefferies /  Editora Companhia das Letras R$39,90
Em 1925, a jovem Gwendolyn Hooper parte de navio da Escócia para se encontrar com seu marido, Laurence, no exótico Ceilão, do outro lado do mundo. Recém-casados e apaixonados, eles são a definição do casal aristocrático perfeito: a bela dama britânica e o proprietário de uma das fazendas de chás mais prósperas do império.
Mas ao chegar à mansão na paradisíaca propriedade Hooper, nada é como Gwendolyn imaginava: os funcionários parecem rancorosos e calados, e os vizinhos, traiçoeiros. Seu marido, apesar de afetuoso, demonstra guardar segredos sombrios do passado e recusa-se a conversar sobre certos assuntos.
Ao descobrir que está grávida, a jovem sente-se feliz pela primeira vez desde que chegou ao Ceilão. Mas, no dia de dar à luz, algo inesperado se revela. Agora, é ela quem se vê obrigada a manter em sigilo algo terrível, sob o preço de ver sua família desfeita.


- O Homem de Giz - C. J. Tudor - Editora Intrinseca R$39,90
Em 1986, Eddie e os amigos passam a maior parte dos dias andando de bicicleta pela pacata vizinhança em busca de aventuras. Os desenhos a giz são seu código secreto: homenzinhos rabiscados no asfalto; mensagens que só eles entendem. Mas um desenho misterioso leva o grupo de crianças até um corpo desmembrado e espalhado em um bosque. Depois disso, nada mais é como antes. Em 2016, Eddie se esforça para superar o passado, até que um dia ele e os amigos de infância recebem um mesmo aviso: o desenho de um homem de giz enforcado. Quando um dos amigos aparece morto, Eddie tem certeza de que precisa descobrir o que de fato aconteceu trinta anos atrás. Alternando habilidosamente entre presente e passado, O Homem de Giz traz o melhor do suspense: personagens maravilhosamente construídos, mistérios de prender o fôlego e reviravoltas que vão impressionar até os leitores mais escaldados.

Hoje recebi de presente o "Casos e Casos" da Editora Objetiva:

- Casos e Casos - Esther Perel - Editora Objetiva R$44,90
Um olhar provocativo sobre os relacionamentos pelas lentes da infidelidade. Esther Perel, psicoterapeuta e autora do bestseller Sexo no cativeiro, é reconhecida como uma das vozes mais originais e perspicazes sobre os relacionamentos modernos.Um caso extraconjugal: algo que pode acabar com o relacionamento de um casal, sua felicidade, sua própria identidade. E, no entanto, essa experiência humana extremamente comum é muito mal compreendida. O que podemos entender desse tabu clássico - universalmente proibido ainda que universalmente praticado? Por que as pessoas traem - até mesmo aquelas em casamentos felizes? Durante os últimos dez anos, Perel viajou o mundo e trabalhou com centenas de casais que lidaram com a infidelidade.
Traição machuca, mas pode ser curada. Um caso pode inclusive ser a porta de entrada para um novo casamento - com a mesma pessoa. Com a abordagem certa, casais podem crescer e aprender com essas experiências turbulentas, juntos ou separados. Casos extraconjugais têm muito a nos ensinar sobre relacionamentos modernos. Eles oferecem uma janela única de observação da nossa atitude pessoal e cultural sobre amor, desejo e compromisso. Examinando o amor ilícito através de diversos ângulos, Perel convida os leitores a uma investigação honesta, racional e original do casamento moderno em suas tantas configurações.Inteligente e audacioso, Casos e casos fornece uma fundamentação desafiadora para entender as complexidades do amor e do desejo.

Qual desses eu devo começar a ler primeiro??


sábado, 12 de maio de 2018

Resenha: A Mulher na Janela - A. J. Finn

"Como paciente, digo que a agorafobia não veio para destruir minha vida: agora ela é a minha vida." pág. 26


Que livro é esse?!!! Nossa! Estou pensando nele até hoje e já faz 2 dias que acabei de ler. Adorei! Eu amo um bom thriller de mistério e suspense e "A Mulher na Janela" é maravilhoso!!
Sabe aquele livro que você não desgruda até acabar de ler? Fica ansiosa para voltar à leitura porque TEM que saber o que acontece...que os fatos vão acontecendo e você se surpreendendo e se perguntando: CARACA!!!

O livro é todo contado por Anna Fox, 38 anos, uma mulher que vive separada  do marido Ed e da filha Olivia de 8 anos. É uma psicóloga infantil, mas parou de atuar por conta da síndrome do pânico e agorafobia que a atormenta, já esta há 11 meses sem sair de casa. Bebe muito e mistura vinho com os medicamentos psiquiátricos. Na maioria do tempo bisbilhota os vizinhos pela janela e assiste filmes de Hitchcok.
Tudo andava normalmente até que os Russell se mudam para a casa da frente...Ana começa a receber visitas e a vida dela muda completamente quando ela vê um assassinato...ou será que essa mistura bombástica de álcool e remédios a fez delirar?? Será que a realidade é um sonho e foi tudo ilusão? Até que ponto Anna está no controle de suas faculdades mentais? Será que tudo não passou de imaginação pelos filmes que ela assiste? Misturou realidade e ficção?

São 350 páginas que passam voando e fica um gostinho de quero mais. Vale muito a leitura!!!


Paguei R$31,90

terça-feira, 8 de maio de 2018

Resenha: Me chame pelo seu nome - André Aciman

"O verão em que aprendi a amar pescar. Porque ele amava. A amar correr. Porque ele amava. A amar polvo, Heráclito, Tristão e,. O verão em que ouvia o canto de um pássaro, sentia o perfume de uma florou o vapor subir pelos pés em dias quentes e ensolarados e, como meus sentidos estavam sempre alerta, automaticamente pensava nele." pag. 26

Me Chame Pelo Seu Nome é um livro de muitas faces. Altamente erótico e sensível, a estória é contada por seu protagonista Elio. Ele é um rapaz de 17 anos, bissexual, muito culto, filho de pais intelectuais e liberais, e esta passando as férias de verão na Itália.
Oliver foi o candidato aceito pelo pai de Elio, que todo ano recebe um jovem acadêmico em sua casa para ajuda-lo com as pesquisas universitárias.
O livro já começa com o narrador querendo entender como essa atração entre os dois começou. O leitor é contagiado por esse clima de desejo e torce para que Elio seja correspondido, mas até certo ponto Oliver se mostra indiferente e distante, com o tempo os dois se permitem entrar num mundo de prazer e paixão.

Não indico a leitura para adolescentes, eu achei algumas partes bem eróticas, o que não é necessariamente ruim, mas acredito que seja um conteúdo adulto.
O livro é dividido em 4 partes e a quarta e última, para mim, é a mais bonita, com uma sensibilidade ímpar.
Em alguns momentos achei excessivo o uso da descrição de paisagens e lugares ou até mesmo os diálogos em italiano e as explicações sobre escritores.

"-Me chame pelo seu nome e eu vou chamar você pelo meu.
Era algo que eu nunca tinha feito na vida e, assim que disse meu próprio nome como se fosse dele, fui levado a um domínio que nunca tinha compartilhado com ninguém, e que não compartilhei desde então." pág. 158

Confesso que em algumas partes fiquei sem ar...o autor soube como poucos a descrever cenas e atos sensuais. 
As reflexões de Elio sobre esse amor, sobre a indiferença de Oliver, sobre a distância entre eles é muito bonita e até mesmo as reflexões sobre o sexo. Não se trata apenas de um romance LGBT, mas de um romance entre pessoas que se gostam e se sentem atraídas. Fica claro que pouco importa se são dois homens, são sobre tudo dois seres apaixonados.

Paguei R$22,90



sábado, 5 de maio de 2018

Resenha: Tartarugas até lá embaixo - John Green

"A vida é uma história que contam sobre nós, não uma história que escolhemos contar." pág. 9

Eu amo a escrita do John Green e esse livro, em especial, me tocou profundamente.  São muitos trechos sublinhados, muitas paradas para tomar folego, muitas reflexões.
A estória em si é simples, um milionário foge de ser preso pela policia e uma recompensa de US$ 100.000 é ofertada para quem achar pistas.

"A Dra Karen Singh gostava de dizer que um pensamento indesejado é como um carro passando numa estrada enquanto você está parado no acostamento. Repeti para mim mesma que eu não precisava entrar naquele carro, que eu não teria que escolher entre ter aquele pensamento ou não, mas entre me deixar ser levada por ele ou não." pág. 235

Aza é uma garota no ensino médio, tudo seria normal se não fosse o TOC de contaminação que a persegue, e já nas primeiras páginas o leitor começa a entender como sofre uma pessoa com essa síndrome. John descreve com muita sensibilidade e muita realidade. Eu sofri com Aza. 

Mas o livro não é só isso, também temos muita amizade, como a de Aza e Daisy. Assim como a maioria dos livros de Green, essa amizade é posta a prova, pois será que sempre conseguimos olhar para nossos amigos como eles realmente são? Conseguimos enxergar o lado deles? Será que conseguimos ser amigos de verdade? 
Também tem romance! Aza e Davis (filho do empresário sumido) vivem um romance bem bonitinho! 

Nesse livro também refletimos sobre as perdas...Aza perdeu o pai ainda menina, mas esse vazio ecoa em sua vida.

"Então você sabe como é. Não, eu não sabia. Não sabia exatamente. Toda perda é única. Não dá para saber como é a dor de outra pessoa, da mesma forma que tocar o corpo de alguém não é o mesmo que viver naquele corpo." pág. 164

O título é explicado nas páginas 229 e 230. E o mistério do pai de Davis também é primorosamente resolvido. 
Eu amei! Paguei R$21,90

sexta-feira, 4 de maio de 2018

Resenha: Um de nós esta mentindo - Karen M. McManus


“A não ser que um de nós esteja mentindo. O que sempre é uma possibilidade.”

Cinco alunos na detenção, um deles morre por uma crise alérgica. Seriam os quartos suspeitos desse crime? Ou Seriam vítimas de algo cruel?

Ahhh eu amei esse livro! Devorei como há tempos não devorava um bom livro! Super empolgante e a narrativa flui que quando percebi já estava na metade do livro e puff! o final!
Os capítulos são separados pelos quarto alunos detidos e por ordem cronológica.

Temos a Addy que é a patricinha da escola, namorada de Jake, Bronwyn Rojas, a cdf super inteligente, Nate que é o delinquente, está em liberdade condicional.  Cooper, o super atleta, um astro do beisebol da escola Bayview.
Simon, a vítima, era meio uma "persona non grata" no colégio, pois tinha um aplicativo de fofocas e postava com frequência sobre a vida sexual e sobre segredos dos colegas.

Até os últimos capítulos o leitor fica se perguntando: Quem matou Simon! No decorrer do livro há vários indícios e segredos sendo descobertos de todos os envolvidos.
Cada personagem vai se descobrindo e se descortinando para o leitor...todos tem segredos...e as vezes o que podemos fazer para que eles não sejam descobertos????

"Um de nós esta mentindo" é da Editora Galera. Paguei R$29,90

****SPOILER*** (Selecione o paragrafo abaixo se quiser saber quem é o assassino)

Simon na verdade planeja todos os detalhes da sua morte, até mesmo escolhe a dedo os 4 "amigos" que estariam na sala com ele. Cada pessoa escolhida fez algo ruim para Simon, mesmo que sem querer... e ele para se vingar, planeja esse ardiloso plano. Claro que ele contou com a ajuda de  Jake e Jeane.





segunda-feira, 23 de abril de 2018

Resenha: O Prisioneiro - Anand Dílvar

"Dor não é o mesmo que sofrimento. A dor faz parte da vida e surge quando perdemos algo que amamos. O sofrimento se origina da recusa em aceitar o que acontece, da ideia de que tudo poderia ser diferente, do pensamento de que as coisas deveriam ser do jeito que NÓS queremos que sejam." pag. 67


Sinopse: 
Após um terrível acidente, um jovem acorda preso a uma cama de hospital, sem conseguir se mexer, se comunicar ou sequer fechar os olhos. Apesar de todos acreditarem que se encontra em coma, ele é capaz de ver e ouvir tudo o que acontece à sua volta. Sem esperanças de se recuperar e sentindo-se profundamente solitário, ele é surpreendido por uma sábia voz interior que começa a lhe explicar como suas escolhas erradas o levaram a essa situação.
A partir dessa conversa transformadora, ele aprende a ver episódios dolorosos do seu passado com os olhos renovados, cheios de ternura e compaixão. E descobre que é possível deixar para trás o pesado fardo de ressentimentos, medos e culpas que quase destruiu sua vida.

Vi esse livro na livraria e me encantei, li a sinopse e comprei. ($29,90). São 109 páginas que fluem de forma super gostosa.
A estória de Romeo em si é bem clichê, ele leva uma vida desregrada e sofre um acidente de carro, que o deixa em coma. Mas o ponto alto do livro são os conselhos do Guia Espiritual que lhe sussurra palavras de força e superação.

Romeo é um rapaz que culpa seus pais por todas as infelicidades de sua vida. Culpa suas namoradas pelos relacionamentos fracassados, culpa sua criação por ser uma pessoa sem exito profissional, se sente um fantoche nas mãos das pessoas e não sabe como se livrar dessas amarras...
Quem nunca se sentiu sem esperança? Paralisado por um trauma? Escravo de um relacionamento? Esse livro é para quem se sente assim, a leitura traz um conforto, leva o leitor a buscar reflexão sobre si mesmo e seus próprios comportamentos... Os diálogos e conselhos que o nosso protagonista paralisado recebe de seu guia são quase uma terapia. Eu li e gostei muito!

"Você não pode controlar as circunstâncias, mas pode controlar sua reação a elas. Você estava e ainda está no controle do que acontece dentro da sua mente. É você quem decide i que pensa e como reage a cada situação." pág. 24

Vale muito a pena!