terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Crônicas do dia-a-dia: Júlia




Minha filha...minha pequena filha que nasceu tão inesperadamente e hoje se fez moça, minha menina, meu amor mais verdadeiro e mais doído...Oh dor q dói no peito! Uma dor de amor, uma dor de medo, medo de perder, medo que o mal te aflija, medo de não te ver.
Oh amor maior do mundo! Amor mais sublime, amo que não cabe no peito, amor que me transborda e me inunda.
O que seria da minha vida sem você, meu anjo? Minha paixão, meu coração fora do peito? O que seria de mim sem o seu sorriso, sem o seu cheiro, sem a sua alegria?
Você trouxe flor pra minha existência, você trouxe paz para minha alma, e com você tudo começou a fazer sentido.
Você é a estrela que me acompanha, é a minha vida em outras mãos...lembro dos teus olhinhos me olhando e logo os meus se enchem de lagrimas, lagrimas de amor, porque com vc tudo faz sentido.

Minha filha, nesse dia, nesse dia que é só seu, eu desejo tudo o que de mais bonito o mundo possa te oferecer. Te desejo sabedoria para lidar com os males que possa te afetar, te desejo força para levantar sempre que cair, desejo ser uma boa mãe  para que vc tenha sempre a quem recorrer quando seu coração parecer partido. Desejo que você saiba lidar com as paixões que abrigarem seu coração, que você consiga chorar quando tiver vontade, mas que logo volte a sorrir, desejo que o mundo brilhe sempre a seus olhos, que você consiga ver a vida colorida, mesmo quando ela pareça preto e branco...desejo estar sempre ao seu lado.

Eu só sou, porque vc é!
Te amo!