terça-feira, 26 de novembro de 2013

Resenha: O Oceano no Fim do Caminho - Neil Gaiman


"Esse é o problema com as coisas vivas. Não duram muito. Gatinhos num dia, gatos velhos no outro. E depois ficam só as lembranças. E as lembranças desvanecem e se confundem, viram borrões". p. 58

"Ninguém realmente se parece por fora com o que é de fato por dentro. Nem você. Nem eu. As pessoas são muito mais complicadas que isso". p. 129

"Os adultos também se parecem com adultos por dentro. Por fora, são grandes e desatenciosos e sempre sabem o que estão fazendo. Por dentro, eles se aparecem com o que sempre foram. Com o que eram quando tinham a sua idade". p. 130

"Nada nunca é igual...seja um segundo mais tarde ou cem anos depois. Tudo esta sempre se agitando e se revolvendo. E as pessoas mudam tanto quanto os oceanos". p. 185

Como escolher somente um "quote" dentro de um livro tão maravilhoso? Impossivel!
Antes de ler "O Oceano no Fim do Caminho" é bom você entender um pouco do escritor Neil Gaiman, ele é um escritor aclamado pelos seus quadrinhos que misturam mitologia grega, sonho, morte, destino...e seus romances são tem sempre uma "pegada" de fantasia e escapismo.


"O Oceano no Fim do Caminho" parece um livro autobiografico já que em 2008 Gaiman passou por uma separação, e a personagem principal, um menino de 7 anos, não tenha nome na estória e nenhum dos familiares. Já as demais personagens tem nome e sobrenome.

Bom, o livro começa com um homem de 47 anos voltando a Sussex/Inglaterra para um funeral e lá encontra lembranças do passado. Muitas lembranças que ele nem sequer se lembrava, mas elas estavam ali guardadas.

"As memórias de infância às vezes são encobertas e obscurecidas pelo o que vem depois, como brinquedos antigos, esquecidos no fundo do armário abarrotado de um adulto, mas nunca se perdem por completo". p. 14

Esse homem vai até o terreno onde morava na infância e se recorda de um lago que existia no final do caminho, mesmo sem pensar na sua amiga Lettie Hempstock há várias décadas, ele se recorda dela imediatamente quando olha para aquele lago que ela chamava de oceano.  (Título desvendado né?! E eu amei esse título! Lindo!)

Quando ele senta perto do lago várias memórias da infância voltam a florescer e é essa estória que nos é contada.

Quando ele tinha 7 anos, a família do menino passava por dificuldades financeiras e aluga um dos quartos da casa para complementar a renda. Um dos inquilinos é um minerador de Opala. Alguns dias depois de sua chegada, o sujeito é encontrado morto dentro do carro da família. A partir dai coisas inimagináveis começaram a acontecer.

O garoto junto com sua amiga Lettie Hempstock vivem algumas aventuras e emoções a partir de então.

Lettie é uma personagem maravilhosa, ela esteve com o garoto em todos os momentos difíceis e na verdade a gente acaba o livro ... **SPOILLER DETECTADO** sem saber se ela realmente existiu, se era uma amiga imaginária ou se era uma menina. **FIM DO SPOILLER**

Um fato determinante na estória para entendermos as metáforas que Gaiman utiliza, é sempre se lembrar que o garoto era aficionado por leitura, (como o próprio Neil na infância) ele amava livros, a leitura é seu passatempo predileto e existem várias passagens dele com "Contos de Nárnia", "Alice no País das Maravilhas" entre outros títulos cujo gênero é fantasia.



"O Oceano no Fim do Caminho" explora muito bem essa imaginação infantil, a fuga da realidade, como por ex, quando surge a figura de Úrsula, que é uma personagem marcante, tanto por ser psicologicamente brutal como por significar a quebra da família do menino, ele cria todo um universo surrealista que os envolve.

 -Início de Spoiller_
Não levei as passagens surrealistas e fantasiosas ao pé da letra, na minha leitura tudo isso foi despertado pela imaginação do garoto ao ver o homem morto, aquela cena aterrorizante despertou nele um "trauma" que ele conseguiu lidar melhor tendo essas fugas da realidade, como no caso da governanta, que ele não quis "ver" a traição do pai, preferiu ver Úrsula como uma "pulga" , um monstro. Até mesmo o caso da banheira, onde o pai quase o afogou, ele preferiu achar que o pai estava por efeito da governanta malévola.
O oceano para mim tem a função de destino, é o que leva e traz as coisas boas/ruins.
-Fim do Spoiller-

Eu adorei o livro, ele é denso! É marcante! Me fez pensar muito, tanto que acabei de ler no sábado e fiquei até hoje pensando e ruminando ideias.
Tem tanta coisa que eu queria falar sobre ele, porque é tão apavorante, tão surpreendente...é como ser criança de novo e viver os mesmos medos novamente.

Leia! É maravilhoso!

Paguei R$24,50.

AH!! Amei a capa!! Frente e verso são lindos!