segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Resenha: A Desconstrução de Mara Dyer - Michelle Hodkin

"- Não - disse ele a si mesmo. - Não, não é. Você é a garota que me chamou de escroto na primeira vez que nos falamos.  A garota que tentou pagar pelo almoço mesmo depois de descobrir que eu tinha mais dinheiro que deus. Você é a garota que se arriscou para salvar uma cadela à beira da morte, que faz meu peito doer esteja usando seda verde ou jeans rasgado. Você é a garota que eu.. - Noah parou, então deu passo para se aproximar de mim. - Você é a minha garota - disse ele simplesmente, porque aquilo era verdade. - Mas, se fizer isso, será outra pessoa". pág. 364

Preciso antes de tudo dizer que amei "A Desconstrução de Mara Dyer". Eu não imaginei que fosse gostar tanto! Passei o fim de semana com o livro em mãos e estou absurdamente desesperada pelo 2o livro da trilogia.
Sabe aquele livro que quando acaba, a gente fica triste? Foi esse o caso.

Vou copiar a sinopse aqui, porque achei-a maravilhosa, eu não conseguiria acrescentar nada, sem cometer spoiller:

Um grupo de amigos... Uma tábua ouija... Um presságio de morte. Mara Dyer não estava interessada em mensagens do além. Mas para não estragar a diversão da melhor amiga justo em seu aniversário ela decide embarcar na brincadeira. Apenas para receber um recado de sangue. Parecia uma simples piada de mau gosto... até que todos os presentes com exceção de Mara morrem no desabamento de um velho sanatório abandonado. O que o grupo estaria fazendo em um prédio condenado? A resposta parece estar perdida na mente perturbada de Mara. Mas depois de sobreviver à traumática experiência é natural que a menina se proteja com uma amnésia seletiva. Afinal, ela perdeu a melhor amiga, o namorado e a irmã do rapaz. Para ajudá-la a superar o trauma a família decide mudar para uma nova cidade, um novo começo. Todos estão empenhados em esquecer. E Mara só quer lembrar. Ainda mais com as alucinações - ou seriam premonições? - Os corpos e o véu entre realidade, pesadelo e sanidade se esgarçando dia a dia. Ela precisa entender o que houve para ter uma chance de impedir a loucura de tomá-la....

Essa livro é um misto de suspense, terror, paranormalidade e muito romance! Mas, romance gostoso de ler, sabe? Aquele que faz você se lembrar da sua adolescência, aquele que você queria pegar para si!
"O que é Real?", perguntou o menino. "É uma coisa que acontece com você quando uma menina o ama por um longo, longo tempo. Quando não faz de você só um brinquedo, quando ama você de verdade". "Isso dói?" Perguntou o menino. "Ás vezes. Quando você é Real, não se importa com se machucar." 
Noah é um capítulo a parte, nada de macho alfa (graças a Deus), ele é um fofo! Cortês, gentil, lindo, meigo, e entende Mara! Quer coisa melhor?

Ela acha que tem poderes, já não sabe o que é real, o que é sonho, o que são alucinações, o que é pesadelo e a gente embarca nessa com ela, o que é muito bom! Adrenalina pura! 

O leitor fica na dúvida até o final, e para arrematar: Que final é aquele?! Surpreendente!!
Preciso ler o segundo volume urgente! A Galera Record precisa lançar logo o 2o volume!

Eu só sei que jamais vou brincar com uma tábua de ouija.


Edição: 1
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501098580
Ano: 2013
Páginas: 378
Tradutor: Mariana Kohnert