quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Lançamentos da Companhia das Letras

Olá pessoal!
A Companhia das Letras traz em Novembro lançamentos de balançar o coração de qualquer louco por livros!
Além do badalado "Bridget Jones Louca pelo Garoto" (resenha AQUI! Sorteio AQUI!), ainda teremos...

Storynhas - Rita Lee

Os fãs de Rita Lee conhecem o humor de sua estrela. Ao longo dos anos, se acostumaram com as histórias desbocadas e surpreendentes que Rita conta em sua página do Twitter. São narrativas cômicas, ternas, tristes, biográficas, melancólicas, críticas, ferrenhas, raivosas e doces, às vezes tudo isso numa mesma história - ou numa mesma frase.
Já Laerte muitas vezes não precisa de frases. Seu estilo, tão icônico e marcante quanto uma canção de Rita, atravessou gerações se renovando com frescor e graça. Seja nas tiras, nas histórias longas ou nas ilustrações, os desenhos de Laerte carregam personalidade, humor, drama e política, com doses de filosofia e metafísica.
A imaginação de Rita Lee. O traço de Laerte. Storynhas marca o encontro desses grandes artistas, numa obra inusitada e escandalosamente divertida. Criado a partir dessas mini-histórias, Storynhas é um divã aberto para o pensamento anárquico, filosófico e deslumbrante da cantora.
Atenção: pode conter rock‘n’roll.

O Intocável - Randall Sullivan

Tendo como ponto de partida os dias finais do Rei do Pop no rancho Neverland, Intocável conduz o leitor pelos quatro últimos anos de Michael Jackson, conforme ele viajava o mundo - da Califórnia para o Oriente Médio, depois Irlanda, Ásia, Costa Leste e Las Vegas -, na tentativa recuperar sua fortuna e reputação com um novo disco e uma série de cinquenta megashows, para os quais ele ensaiou até um dia antes de sua morte.
Sullivan também investiga o passado de Jackson, revelando um homem tão ingênuo quanto astuto, um pai dedicado cujas atitudes com os filhos geraram polêmicas mundiais, um empresário ardiloso que atingiu o auge muito cedo para depois quase derrubar uma megacorporação, um narcisista inveterado que, mais do que tudo, desejava uma vida tranquila, solitária e normal. Do estrelato precoce com o Jackson 5 à derradeira queda, passando pela difícil relação com a família e os muitos escândalos públicos que marcaram sua carreira, Intocável jamais deixa de lado o gênio artístico de Jackson, seu pioneirismo musical e tecnológico e os incríveis passos de dança que marcaram e seguem marcando gerações.
Valendo-se de dados inéditos sobre a vida financeira de Jackson, bem como sobre as acusações de pedofilia que manchariam irremediavelmente sua carreira, além de acesso exclusivo a figuras do círculo íntimo do cantor, o autor traça o mais completo (e complexo) retrato de Michael Jackson, um homem de inúmeras contradições que segue, a despeito de tudo, no seu trono de Rei do Pop.


FIM - Fernanda Torres
O público brasileiro acostumou-se a ver Fernanda Torres no cinema, no teatro ou na televisão. Em filmes premiados, novelas ou séries globais, ela se firmou como uma das mais versáteis atrizes brasileiras, capaz de atuar num arco dramático que vai da comédia escrachada ao denso drama psicológico.
Em anos recentes, Fernanda começou a atuar na imprensa, em colunas no jornal Folha de S.Paulo, na Veja Rio e em colaborações para a revista piauí. Com Fim, seu primeiro romance, ela consolida sua transição para o universo das letras e mostra que nesse âmbito é uma artista tão completa quanto no palco ou diante das câmeras.
O livro focaliza a história de um grupo de cinco amigos cariocas. Eles rememoram as passagens marcantes de suas vidas: festas, casamentos, separações, manias, inibições, arrependimentos.
Álvaro vive sozinho, passa o tempo de médico em médico e não suporta a ex-mulher. Sílvio é um junkie que não larga os excessos de droga e sexo nem na velhice. Ribeiro é um rato de praia atlético que ganhou sobrevida sexual com o Viagra. Neto é o careta da turma, marido fiel até os últimos dias. E Ciro, o Don Juan invejado por todos - mas o primeiro a morrer, abatido por um câncer.
São figuras muito diferentes, mas que partilham não apenas o fato de estar no extremo da vida, como também a limitação de horizontes. Sucesso na carreira, realização pessoal e serenidade estão fora de questão - ninguém parece ser capaz de colher, no fim das contas, mais do que um inventário de frustrações.
Ao redor deles pairam mulheres neuróticas, amargas, sedutoras, desencanadas, descartadas, conformadas. Paira também um padre em crise com a própria vocação e um séquito de tipos cariocas frutos da arguta capacidade de observação da autora.
Há graça, sexo, sol e praia nas páginas de Fim. Mas elas também são cheias de resignação e cobertas por uma tinta de melancolia.
Humor sem superficialidade, lirismo sem cafonice, complexidade sem afetação, densidade sem chatice: de que mais precisa um romance para dizer a que veio?

E vocês? Gostaram de qual?