quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Resenha: Sal - Leticia Wierzchowski

"O farol pusera-se triste, meio demente de saudades. Afundava barcos por capricho, enlouquecendo nas noites de tormenta, assim como Cecília quase enlouquecia na sua cama, ouvindo os gemidos do vento e a reclamação contínua das ondas lá na praia como se fossem os seus filhos chorando quando eram crianças..."

SAL é um livro lindo, eu me apaixonei pela estória!
É um livro que precisa de tempo para ser lido, e não porque a leitura é difícil, e sim porque ela merece ser saboreada.
É daqueles livros que fazem bem a alma e que temos vontade de dizer para todos lerem, pois vale muito a pena.

Letícia Wierzchowski consegue chegar na alma do leitor, e consegue isso desnudando cada personagem do livro, alcançamos o coração de cada filho de Cecília, como o dela próprio e de Ivan.

O nome do livro não poderia ser melhor, pois o sal é a essência do mar, o mesmo mar que é testemunha de toda a vida da família Godoy, desde a paixão de Cecília e Ivan, até a tragédia que ela é fadada.

SAL começa com Cecília sofrendo de saudades de seu amor, Ivan morrera e seus filhos foram embora, os 6 filhos, e o farol que fizera parte de toda uma vida, enlouquecera, então ela decide escrever uma carta à capitania dos portos pedindo que alguem venha tomar conta do farol, enquanto isso ela decide tecer uma manta em trico com várias cores, cada cor representa um filho, ela própria e Ivan seu marido. Cada cor usada é uma lembrança, uma vida revivida na mente de Cecília.

O livro divide-se em 3 partes, que são subdivididos em capítulos, neles ficamos conhecendo Ernest empregado da família de Ivan e quem cuidava do farol inicialmente, Doña e don Evandro pais de Ivan. Como também Lucas, Julieta, Orfeu, Flora e Eva, Tiberius, filhos de Cecília e Ivan.
O tempo do livro é alternado de acordo com o narrador, e temos visões do presente, passado e futuro. 

Flora é uma personagem central, pois depois de tanto ler os livros que Ernest deixou no sotão, decide escrever seu próprio livro, porem jamais imaginaria como isso poderia mudar o rumo da família Godoy. O livro de Flora chega as mãos de Julius, um professor de Londres que vai até La Duiva para conhecer a escritora, e com essa chegada a família não é mais a mesma, posso adiantar que surge um triângulo amoroso e um amor homossexual lindamente escrito por Letícia.

Porem nada na vida dos Godoy será como antes, não há mais união entre os familiares, o farol enlouquece de vez e os irmãos se separam.

Sal é poético, lindo, humano e verdadeiro!
Vale cada página! Amei!