terça-feira, 22 de outubro de 2013

Resenha: Dois Rios - T. Greenwood

"Você vê, as coisas que nos apavoram, as coisas que nos assustam são, às vezes, as melhores coisas para nós. Se não fosse por você, provavelmente eu teria feito todas as coisas que tinha planejado fazer. Teria me mudado para Boston, arrumado um emprego na orquestra sinfônica, essas coisas. Mas essa teria sido uma vida fácil. Ser mãe. Ter aquele salto de fé, aquilo era verdadeiro. Aquilo, para mim, era receber uma oportunidade. E agora não consigo imaginar ter feito algo diferente..." pág. 182
 

Quando olhei essa capa, confesso que ela me encantou. Nem li a sinopse, escolhi "Dois Rios" pela capa mesmo e depois da leitura posso dizer que a estória é melhor do que eu poderia ter imaginado!

Harper é um pai solteiro, sua esposa Betsy morreu no dia do parto, porem não sabemos como até quase o final do livro. Harper cuida de Shelly sozinho, a garota já tem 12 anos.  Ele é gerente de cargas da ferrovia.

Certo dia o trem descarrila e cai no rio, são 94 passageiros, 40 deles morrem. Harper vai até o local para ajudar no resgate das vítimas; é quando conhece Maggie, uma jovem negra de 15 anos que está  grávida, ela pede abrigo a ele, pois diz que sua mãe morrera no acidente e seu pai expulsou-a de casa. Ele a ajuda, leva a garota para casa. O que ele não sabe é que Maggie representa muito mais do que ele possa imaginar.

Harper Montgomery é daqueles personagens que você já gosta na primeira página. É um homem de trinta e poucos anos, apaixonadíssimo pela esposa falecida, não consegue se recuperar da morte dela mesmo depois de 12 anos, cuida da filha sozinho, trabalha duro, e é marcado pelo arrependimento de ter participado de um crime.

O livro é narrado em 3a pessoa, e temos vários recortes de tempo, o atual é  na década de 80, e o passado que conta sobre a vida de Betsy e Montgomery desde que eles tinham 12 anos até a data da morte dela. Ficamos conhecendo a família  Parker e a Montgomery. É encantador como esse homem, desde menino, amou Betsy! 

Ao mesmo tempo que temos um belo romance, ele é cercado de mistério! Existe um motivo para Maggie estar ali, e por mais que você seja um bom detetive, vai se surpreender no final!

Em "Dois Rios" também temos uma crítica social em relação a segregação racial que existia nos EUA, é muito forte a relação de brancos versus negros, e o final num nível mais especifico é reconciliador.

O livro também nos faz pensar sobre o que queremos das pessoas  e o que realmente elas são, visto o que aconteceu com as mães de Betsy e de Harper. A escritora se posiciona em relação ao direito das mulheres, e como  essa idealização pode ser prejudicial a elas.

A escrita de Greenwood é magistral, ela prende o leitor do inicio ao fim, é uma estória tão belamente contada que varei a noite lendo, sem conseguir tirar os olhos, sempre querendo saber mais, saber como Betsy morreu, qual foi o crime que Harper se manteve omisso, o que pretende Maggie.

É demais! Vale cada página! Livro maravilhoso!