quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Resenha: Corações Feridos - Louisa Reid


"Acordei no outro dia com a luz do sol cintilando pela janela e me arrastei para olhar para fora. Vi que a árvore ainda estava verde e que, apesar de tudo, ela ainda estava crescendo. Lembrei-me da vida e quis a minha". pág. 165

UAU! Que livro forte e emocionante! Tristemente belo!

Hephzibah e Rebecca são irmãs gêmeas, porem Reb nasceu com a Síndrome de Treacher Collins, o que faz com que ela tenha o rosto todo deformado, seja mais tímida e calada. Já Hephzi é linda e voluptuosa. 
Apesar das diferenças as duas são unidas e se amam muito (mesmo Hephzi tendo vergonha de vez enquando da Rebecca). 
É impressionante ler e sentir o amor verdadeiro e altruísta que Reb tem pela a irmã.

As duas guardam um segredo terrível, segredo este que ocorre principalmente quando o pai, um pastor fanático, tranca a porta de casa.

O pai é um homem duro que apesar da fama de bom homem, pastor exemplar, é capaz das piores atrocidades, tudo amparado pela esposa e mãe das garotas.

O único amor que as gêmeas tem é da avó, e é muito fofo ver como aquela mulher amava e protegia as netas. 

Até os 17 anos, as meninas só tiveram aulas em casa, no entanto Hepzhi consegue fazer com que a mãe convença o pai a deixa-las ir à escola (fica intrínseco que apesar de todo o medo, Hephzi sabe de algum segredo que a outra gêmea não conhece), o pai permite que as garotas cursem algumas matérias como matemática, física e química. Já inglês, história e literatura estavam fora de questão, pois podem desvirtuar as garotas do caminho de Deus.

Na escola Hephzi se deslumbra e  conhece várias pessoas diferentes e "livres", ela fica maravilhada com esse mundo e logo se apaixona por Craig, ai que sua vida começa e acaba.

Nós ficamos sabendo que dos fatos, sabemos que Hephzibah morreu, que a avó morreu, que as meninas vivem em estado de miséria, mas só no decorrer da narrativa que conhecemos os "como e porquês".

"Corações Feridos" começa com o velório de Hephzibah, e depois o tempo, assim como as narradoras são intercalados. Aos poucos ficamos conhecendo essa família e o sofrimento psicológico e físico que sofrem. 

Hephzibah tentou escapar e acabou morrendo, o que será de Rebecca?

"Gravei o dia de hoje em minha memória como mais um dia negro, e está lá, uma dura estória inscrita no meu coração. As histórias que tenho escondidas dentro de mim; se você pudesse abrir-me, leria a verdade. Olhe para dentro, retire a pele, a carne e os ossos e encontrará uma biblioteca de sofrimentos. talvez você me peça para explicar. Eu sou antes de tudo a curadora desse passado. mas algumas coisas são terríveis demais para serem contadas, e essas palavras estão enterradas profundamente. ...essas palavras não ouso pronunciar em voz alta". pág. 12

Desde o início da leitura fiquei totalmente anestesiada, sem conseguir largar as páginas, querendo saber mais, me sentindo impotente várias vezes, chorando com as meninas e querendo que tudo terminasse bem.
Rebecca me passou tantos sentimentos, e achei incrível como Reid conseguiu expressar tão bem toda a solidão dessa personagem: as noites sozinhas após a morte da irmã, os pensamentos, a tristeza comovente da personagem.

É um livro forte, posso dizer que em determinados momentos difícil, mas real. 
Humanamente real, principalmente o final, achei totalmente plausível, e as emoções de Rebeca em relação a tudo, principalmente à mãe me surpreenderam positivamente.

Corações Feridos é aquele tipo de livro que quando acaba, você continua pensando na história, vai dormir pensando nas meninas, no que passaram, no que acontecia naquela casa. É um drama perturbador, extremamente emocionante e comovente.

Recomendo!