segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Resenha: Will & Will - Johm Green e David Levithan

"Eu só te amo. Quando foi que quem você quer f*der se tornou mais importante? Desde quando a pessoa que você quer f*der é a única pessoa que você ama? Isso é tão estúpido Tiny! Quero dizer, meu Deus, quem se importa com a p*rra do sexo?! As pessoas agem como se essa fosse a coisa mais importante que os seres humanos fazem, mas vamos combinar. Como pode a p*rra das nossas vidas evoluídas girar em torno de algo que as lesmas podem fazer? Quero dizer, tudo gira em torno de quem  você quer f*der e se você f*de com essa pessoa? Essas perguntas são importantes, eu acho. Mas não tão importantes assim. Sabe o que é importante? Por quem você morreria? Por quem você acorda as 5:45 sem nem saber pra que ele precisa de você? De que bêbado você limparia o nariz?" 
p. 292

Preciso dizer? Amei! Bem, mas vamos falar sobre o livro...

Quem conhece a escrita de John Green consegue logo perceber que ele escreve o primeiro Will, e assim David Levithan fica com o Will 2.
As narrativas são alternadas em capítulos, começando com o Will Grayson que é um garoto que não consegue fazer muitos amigos, que prefere se calar, não se meter em confusão, não se importar com nada, para assim não sofrer, é amigo de Tinny, jogador de futebol americano, e super gay. Will mora com os pais que são médicos, e passam a maior parte do tempo no hospital "salvando vidas".

Tiny fez um grupo que é a "Aliança Gay Héteros" e quer financiamento para sua peça-musical Tiny Dancer.
O Will Grayson 2, é um menino depressivo, não sabe muito bem o que fazer da vida, toma medicamentos para estabilizar o humor, tem dias que quer se matar, e dias que quer matar o mundo, tem uma amiga que não quer ter que é Maura, e é apaixonado por Isaac um "namorado" virtual. Ele mora com a mãe, seus pais são separados.
A estória desses dois Wills se juntam quando Will 2 decide se encontrar com Isaac, e acaba achando Will 1.

Fiquei pensando se os capítulos de Will 2 foram feitos em letras minúsculas para mostrar um estado de espírito do menino, ou só como forma de diferenciar um do outro.
Não tem como falar de Will & Will sem falar de Tiny, ele é o "astro" central da trama, ele que faz com que tudo se encaixe, e que cada Will se conheça melhor e consiga se encontrar.
O livro acima de tudo fala de amor, o valor da amizade, perdão, angústias, amores adolescentes. O fato de alguns personagens serem homossexuais é só um diferencial, porque o amor é o mesmo, acredito que esse seja um ponto que os autores quiseram explorar, pois faz o leitor pensar sobre preconceito, sobre se aceitar e aceitar o outro.

O final é emocionante e surreal, mas de fato lindo!