domingo, 9 de junho de 2013

Resenha: Quarto - Emma Donoghue

"Eu noto que as pessoas vivem quase sempre tensas e não tem tempo. (…) Acho que o tempo é espalhado muito fino em cima do mundo todo, feito manteiga, nas ruas e nas casas e nas pracinhas e nas lojas, por isso só tem um tiquinho de tempo espalhado em cada lugar, e aí todo mundo tem que correr pro pedaço seguinte.”

Eu comprei "Quarto" pela indicação da querida Adriana, e eu só tenho a agradecer a ela por isso.
Gosto muito de livros que são narrados por crianças, mas esse não é igual a nenhum que eu já tenha lido.

Quando comecei a leitura, um misto de sentimentos tomaram conta de mim, não sabia se estava gostando  ou odiando...fiquei sem dormir...precisava saber como Jack e a Mãe estavam, aí acabei a leitura na mesma noite.

"Quarto" conta a estória de Jack e sua Mãe. 
Ele acaba de completar 5 anos, e a Mãe tem 27. Há 7 ela está presa no quarto, onde o Velho Nick os mantem reféns. Mas para Jack aquele comodo é seu mundo! Nada existe fora dali! Ele é feliz e mantem sua rotina, seus brinquedos feitos de casca de ovos e roupas, a sua amiga Dora Aventureira da TV, e os pedidos de domingo. 
Entretanto, sua mãe vendo que Jack esta crescendo, e com medo do que possa acontecer a ele, precisa armar um plano de fuga.

Apesar da estória ser contada pelo menino e isso transforma tudo em meiguice, eu fiquei muito ansiosa, e queria tirar os dois de dentro do quarto, fazer alguma coisa por eles...a escrita é muito real! Por vezes, Jack me irritou quando se rebela contra a mãe, quis matar o Velho Nick quando ele vai para a cama com ela, e o menino fica contando os segundos passarem...mas ao mesmo tempo, é um leitura tão linda, de como o amor pode superar qualquer obstáculo.

Fiquei impressionada de como Emma Donoghue conseguiu entrar no mundo infantil de Jack, fazendo-o nos contar todos os sentimentos, saudades, pensamentos e emoções. E ao mesmo tempo, criando uma figura materna excepcional, capaz de tudo pelo seu filho, e ainda assim julgada e criticada pelas pessoas. (Revoltei-me demais na entrevista).

Esse não é qualquer livro, é suave e pesado ao mesmo tempo. Você vai se apaixonar e se angustiar.