quarta-feira, 24 de abril de 2013

Resenha: Como Viver Eternamente - Sally Nicholls

"Meu nome é Sam. Tenho onze anos.
 Coleciono histórias e fatos históricos.
 Quando você estiver lendo isso, provavelmente já estarei morto."

Inaugurando a onda dos Sick-lit, "Como viver eternamente" é o primeiro livro de Sally Nicholls, publicado em 2008.
Ele conta a estória de Sam, um menino de 11 anos que tem leucemia no estado final da doença.
Devido a doença, Sam não vai à escola, mas tem aulas particulares em casa com a Sra Willis e com o amigo Félix, também portador de câncer.
Em uma das aulas, a professora pede que os alunos escrevam algo sobre eles, empolgado. Sam começa a escrever o seu livro!
Nele, o garoto conta fatos do dia a dia,  faz listas de coisas que gostaria de fazer antes de morrer, como gostaria que as coisas fossem depois que ele morresse, e escreve sobre curiosidades e fatos históricos.

A edição é linda! Com muitas páginas cheias de desenhos, imagens imitando cartões, papéis...bem bonito mesmo!
A narrativa é uma mistura de choro e riso. 
Apesar de ser um livro com um tema forte e triste, ele tem uma mensagem positiva: Não se pode perder tempo! Não se pode deixar as oportunidades passarem! Vamos ser felizes hoje!
Notei muita semelhança de "Como viver eternamente" com o livro "A Culpa é das Estrelas" que foi publicado em 2012. Acredito que Jonh Green tenha lido o livro de Sally Nicholls e se inspirado.

É uma leitura fácil, emotiva, sensível, bonita! Só lendo para saber! Recomendo muito!