quinta-feira, 7 de março de 2013

Resenha: O Príncipe da Névoa - Carlos Ruiz Zafón - Ed Suma

" Sentia que, pela primeira vez em sua vida, o tempo passava mais rápido do que desejava e ele não podia mais se refugiar no sonho, como nos anos anteriores. A roda da fortuna tinha começado a girar e dessa vez quem jogou os dados não tinha sido ele". p.75
De todos os livros que eu li de Zafón, "O Príncipe da Névoa" foi o que mais gostei.
A estória é envolvente, um suspense maravilhoso, digno de virar filme! Em alguns trechos me deu até um frio na espinha! Amei!

"O Príncipe da Névoa" conta a estória da família Carver quando se mudam para um vilarejo no litoral, no ano de 1943. 
O pai, Maximilliam é um inventor e relojoeiro, e vê nessa mudança a chance de escapar da guerra. Porem mal sabe ele que essa nova casa é cercada de mistérios e terror.
Max, o filho do meio, conhece um novo amigo: Roland e juntos com a irmã Alícia, começam a desvendar alguns segredos desse lugar sombrio e ao mesmo tempo interessante.
O avô de Roland, é o único sobrevivente de um naufrágio que aconteceu há muitos anos  e que contem mais segredos do que eles possam imaginar.
Entre todas as descobertas, eles ficam conhecendo o Príncipe da Névoa, que é um ser assombrado que concede o desejo que você quiser, mas cobra um preço sempre alto demais para quem se arrisca.
Será que Max, Roland e Alícia vão sair ilesos dessa aventura?
"...a vida de uma pessoa se divide basicamente em três períodos. No primeiro, ela nem pensa que vai envelhecer um dia, que  o tempo passa ou que, desde o primeiro dia, quando nascemos, todos caminhamos para o mesmo fim. Passada a primeira juventude, começa o segundo período, no qual a pessoa se dá conta da fragilidade da própria vida, e aquilo que não passava de um simples desassossego vai crescendo dentro da gente como um mar de dúvidas e incertezas que nos acompanha pelo resto de nossos dias. Por último, no final da vida, começa o terceiro período, de aceitação da realidade e, consequentemente, de resignação e espera". p. 89
A estória é narrada em 3a pessoa.
O livro é curtinho, tem 180 páginas, e você não consegue parar a leitura nem por um segundo!
Li numa noite e fiquei maravilhada com a narrativa fácil, estimulante e interessante de Zafón.
"O Príncipe da Névoa" é na verdade o primeiro livro do escritor, ele o escreveu antes mesmo de "Marina" e "A Sombra do Vento", e é tão bom quanto (ou melhor).
Ele fala de uma forma maravilhosa e encantadora sobre a aproximação de irmãos, sobre o primeiro amor,  o medo da guerra, mistérios, figuras mosntruosas, segredos e o leitor sente como se participasse desse enredo, que é acima de tudo muito bem construído e amarrado.
Adorei e recomendo!

Informações:
Editora Suma
180 páginas