terça-feira, 19 de março de 2013

Resenha: As Virgens Suicidas - Jeffrey Eugenides - Ed. Companhia das Letras

"O que você está fazendo aqui, meu bem? Você nem tem idade para saber o quanto a vida pode se tornar ruim. - perguntou o médico.
- É óbvio, doutor, ela disse, você nunca foi uma menina de treze anos". p.11

"As virgens suicidas"é um livro tragicômico.
Desde o início você fica sabendo que as 5 irmãs Lisbon suicidam-se, e o grande suspense é saber o motivo!
Tudo começa num subúrbio da década de 70, quando a filha mais nova do casal Lisbon tenta se matar cortando os pulsos. 
O Sr Lisbon é o professor de matemática da escola onde suas 5 filhas: Cecília (13), Lux (14), Bonnie (15), Mary (16) e Therese (17) estudam, sua esposa a Sra Lisbon é uma dona de casa e religiosa fervorosa.
"Naquele instante o sr. Lisbon sentiu que não sabia quem ela era, que filhos eram apenas estranhos com os quais você concorda em morar..." p.58
Cecília é encontrada nua na banheira da casa com os pulsos cortados e um santinho da Virgem Maria nas mãos. Apesar da tentativa, a menina se salva. 
A família então muito rígida, afrouxam as regras e deixam as meninas fazerem uma festinha em casa e chamar alguns meninos da rua. Os garotos são apaixonados por elas, mas principalmente por essa áurea inatingível que elas tem. Essa festa é o acontecimento do ano! Mas nesse mesmo dia, Cecília consegue então acabar com sua vida, se jogando da janela do seu quarto para as flechas da cerca do portão.
Depois disso, a família se fecha, e o contato com as garotas se torna ainda mais difícil.

O livro é narrado por um dos garotos (hoje um senhor) que morava na rua, vinte anos depois dos suicídios.
Durante a narrativa, você tem a possibilidade de ver diversos pontos de vista sobre a família e sobre o que aconteceu. São vizinhos dando opiniões, parentes, colegas de classe...todos em busca do porquê daquelas mortes. Cada um tem uma versão, o que por vezes torna o texto engraçado.
"Na banheira, cozinhando no caldo de seu próprio sangue, Cecília tinha liberado um vírus que as outras meninas contraíram pelo ar, mesmo quando tentaram salvá-la. Ninguém se preocupou em saber como Cecília havia contraído esse vírus. O contágio se tornou sua explicação". p.147
Eu li e fiquei dias pensando antes de fazer a resenha, por que um livro desse tem em si um contexto pesado, apesar dele não ter nada de triste, e o leitor se pega refletindo nas meninas, nas vidas que levavam e o que as motivou, mas acima de tudo, eu fico pensando qual mensagem que o escritor Jeffrey Eugenides quis passar.
Acredito que "As virgens suicidas" é acima de tudo uma crítica ao modo de vida americano, onde a vida parece um comercial de margarina, onde as pessoas sempre parecem felizes, e encabulam dentro de si seus verdadeiros sentimentos.
Ao mesmo tempo, será que as mentes e corações mais sensíveis sabem lidar com esse mundo cheio de imperfeição, com todas as falhas e opressão?

Informação:

Editora Companhia das Letras
Páginas 231