terça-feira, 4 de setembro de 2012

Resenha: A Menina Que Não Sabia Ler - John Harding

"Um dia...pela janela, vi uma gralha bicando alguma coisa na neve. A cena era um retrato perfeito do meu novo estado de espírito. A neve perfeitamente branca, a gralha preta como uma mancha no lençol recém -lavado; pela primeira vez compreendi que não havia nada inteiramente bom e nada inteiramente ruim, que cada página tem uma mancha,  e por essa mesma razão, eu esperava todas as noites sombrias por uma pequena luz brilhante. Isso me deu esperança." p. 48


Quando comecei a ler "A Menina Que Não Sabia Ler" lembrei de uma frase que vi no Facebook: Ninguem deve perder tempo com um livro ruim. Juro que por pouco não fechei e deixei-o jogado na estante. Que bom que não fiz isso! O livro é o máximo! 
Ele começa devagarinho, e em menos de 100 páginas você não consegue parar de ler. Um suspense inacreditável no melhor estilo de Allan Poe!
Florence é uma menina de 12 anos que vive com o irmão Giles numa mansão sombria. Os dois são meio irmãos (só por parte de pai). A mãe de Florence morreu no parto da menina, e os pais de Giles num acidente.
As crianças estão sob a tutela do tio, que nunca foi visto e nem aparece, e a casa é comandada pelos empregados.
O tio é contra a alfabetização de meninas, e Florence descobre uma enorme biblioteca na mansão, sem amigos, sem convívio social, sem regras, completamente abandonada, a menina auto didata vê sua vida baseada em livros e no irmão.
Quando chega a preceptora de Giles, Srta Taylor, o leitor é invadido pela incerteza e angústia, como se você estivesse assistindo um filme de suspense! Não sabemos mais se a estória narrada por Florence é imaginação ou se é real. O final é extremamente inesquecível!
Algumas perguntas ficam sem resposta, acredito que propositadamente, para que o leitor continue se questionando até que ponto a narrativa da menina é real.

Recomendo muito!!

Paguei R$12,90 no Submarino.