domingo, 26 de agosto de 2012

Livro: O Eterno Marido - Fiodor Dostoievski


"Um homem assim só nasce e se desenvolve"
 para casar e tornar-se logo complemento 
de sua esposa,  mesmo que
 possua indiscutivelmente seu caráter próprio.


Eu tenho um Q por obras clássicas. E por esse motivo não poderia deixar de ler "O Eterno Marido", uma obra prima do escritor russo Fiódor Dostoievski.

O termo "Eterno Marido" expressa o modo doentio que alguns homens tem de só conseguir viver ao lado da esposa. São homens submissos que precisam dessa simbiose com a parceira para se sentirem seguros.




"A seu ver, o caráter essencial de semelhantes maridos consistia em serem, por assim dizer, "eternos maridos", ou, dizendo melhor em serem, na vida, unicamente maridos e mais nada. Um homem dessa espécie nasce e cresce tão somente para se casar e, após o matrimônio, tornar-se de imediato um complemento da esposa, mesmo que possua indiscutivelmente personalidade própria... Se por exemplo, além disso, era ainda funcionário público, isto se dava unicamente porque o próprio serviço na repartição tornava-se também, para ele, por assim dizer, uma das obrigações do seu matrimônio..." pag 49.




SINOPSE:


Em O Eterno Marido, obra apontada como uma espécie de Madame Bovary russa, Dostoievski realiza um romance em que o grotesco é a nota predominante. Sua narrativa concentra-se em dois pólos: a descrição da perda de dignidade do marido traído e sua sutil vingança. Através das cartas deixadas pela esposa que falecera, o ingênuo e inocente Pavel Pavlovitch Trussotski descobre que ela se entregara a inúmeros outros homens. Partindo desta revelação, o autor narra, em seguida, as relações posteriores do marido com um dos amantes da mulher, Veltchaninov, presumivelmente pai da criança que Pavel sempre supusera filha sua.


O livro é marcado por vários dos elementos característicos da obra de Dostoievsky:  crueldade, humor sarcástico, as suas personagens tão bem formadas e vivendo em seus mundos próprios, muitas das vezes atormentadas representando tão bem o sofrimento humano.
Essa leitura é tão interessante que não conseguimos parar de ler, uma obra cativante cheia de dualidades, conflitos e um final surpreendentemente cômico.


Editora: Bertrand Brasil
ISBN-10: 978-85-286-0209-8
Edição: 6a
Número de páginas: 178